Realizar a elaboração do planejamento de uma construção é uma tarefa que exige diversos pontos a serem analisados. Desde a definição do espaço disponível até a quantidade de materiais e trabalhadores que são importantes para a execução da obra, tudo entra no orçamento da construção.

O planejamento de uma construção é uma das partes mais importantes no sucesso de uma obra. Ele é responsável, entre outras coisas, por impedir gastos em excesso e também por manter a construção dentro do prazo estipulado. 

No artigo de hoje separamos algumas dicas para você acertar na estimativa de gastos da obra. Confira! 

Você sabe o que é Orçamento da Obra?

De maneira simples, o orçamento de obras nada mais é do que a estimativa de quanto irá custar a construção ou reforma. Nesse sentido, são considerados não só os custos com material de obra e insumos, mas também com a contratação de mão de obra especializada, logística do canteiro de obras, aluguel de equipamentos, impostos, encargos e muito mais.

Para te ajudar nessa tarefa, você deve lembrar que todas as despesas de uma obra podem ser classificadas entre dois tipos de custos: os diretos e os indiretos. A seguir você confere como inserir esses custos no seu orçamento.

O que são Custos diretos?

Os custos diretos de obra são todas as despesas que incidem diretamente na construção ou reforma. Geralmente, os custos diretos são aqueles relacionados a compra de materiais de construção como cinta de carga e lona de caminhão , mão de obra, serviço e aluguel de equipamentos.

Esses custos representam cerca de 70% a 90% dos custos totais de uma obra, e por este motivo, é preciso atenção especial na hora de orçar essas despesas. Mais para frente você confere as nossas dicas de como estimar os custos diretos de forma mais assertiva.

O que são custos Indiretos?

Já os custos indiretos são todas aquelas despesas relacionadas a obra, mas não aplicadas diretamente na construção ou reforma. Por exemplo: as taxas para fazer ligação da água e energia, as taxas da prefeitura para liberação do alvará da obra, seguros, honorários do arquiteto, engenheiro e administrador da obra, entre outras despesas.

Estas despesas representam de 10 a 30% do valor total da obra. Parece pouco, mas a falta de atenção com os custos indiretos pode representar aumentos significativos no custo de uma obra! Especialmente no que diz respeito a documentos necessários para que seja possível realizar a obra.

Nessa etapa do orçamento, você pode até incluir custos com combustível para visitar o canteiro de obras, por exemplo. Normalmente, quanto mais detalhado o orçamento, melhor é a precisão da estimativa.

Como acertar em cheio no orçamento de obras

Se você chegou até aqui, então já entendeu que o orçamento de obras é uma das etapas mais importantes do processo de obra. Isso por que, é por meio do orçamento de obras que será possível determinar qual a complexidade do projeto, e como serão investidos os recursos de obra.

A área da ciência responsável por estudar técnicas de orçamentação é a engenharia de custos.

As nossas dicas para essa etapa do planejamento da obra são:

1 – Defina o Objetivo da Sua Construção 

Sem um objetivo definido, fica impossível estipular um valor para a execução do projeto. Por isso, antes de mais nada, é preciso definir o objetivo da obra.

O projeto é uma reforma completa? É um projeto de decoração? É um projeto de construção? Qual a finalidade daquele cômodo? Como será utilizado?

Sem um briefing de arquitetura bem feito não há como criar um orçamento realista da construção. Pesquise referências e identifique o que é possível ou não dentro dos objetivos e da realidade do seu cliente. 

Todo esse entendimento é necessário para que seja possível pensar nas ferramentas que serão necessárias na obra, e até para planejar a necessidade de de itens que parecem pouco importantes.

Esse material  pode ajudar a raspar alguns objetos da obra. Quando pensado de forma eficaz, se torna um gasto que poderia ser evitado com certo planejamento.

2 – Faça uma lista de atividades 

Outro erro comum é não incluir no planejamento uma lista de atividades que deverão ser realizadas. Essa etapa do planejamento é extremamente importante, pois sem uma linha cronológica definida, uma primeira ideia pode mudar no decorrer do caminho, o que pode gerar retrabalhos. 

Isso porque, além de prolongar o tempo da obra, os custos com insumos e mão de obra aumentam, e podem até sair do controle! 

Sendo assim, é importante definir com o cliente tudo direitinho antes de colocar a mão na massa. Caso o cliente mude de ideia após o início da execução do projeto, é necessário avaliar a viabilidade de fazer alterações naquele momento. 

3 – Faça Uma Lista de Insumos

Com todas as atividades definidas, é possível identificar os materiais, ferramentas e mão de obra necessária. 

Tudo isso permite que você tenha uma estimativa de gastos do processo inteiro, mas também, por etapa de obra. 

Para que você consiga acertar na estimativa de gastos, é importante contar com a ajuda de outros profissionais especializados nessa etapa do projeto tanto com custos, quanto com os prazos. 

Essa consulta é importante para que você possa selecionar o melhor custo benefício, por isso não tenha preguiça de pesquisar, e não tenha pressa de começar a construção. Mais vale um planejamento demorado, do que uma obra fora do controle mais para frente!  

4 – Negocie Preços! 

Agora que você já tem um cronograma de obras pré definido e uma lista de insumos, é hora de ir às compras! 

Nesse momento, negociar com fornecedores pode fazer toda a diferença no seu orçamento de obras. Para tanto, tenha o registro de todos os orçamentos realizados para um determinado produto – isso pode te dar força na hora de barganhar! 

Outra boa dica é realizar a compra de mais de um projeto com o mesmo fornecedor. Isso porque comprar com volume maior podem oferecer condições melhores de pagamentos e até descontos.  

Não esqueça de verificar o estado dos equipamentos e ferramentas necessários para realização da construção. Por exemplo, existem motores elétricos que usam imã de neodímio para um melhor funcionamento, e é interessante ter a certeza de que todas os equipamentos estão funcionando perfeitamente. 

Essa etapa é importante para que você possa planejar possíveis alugueis de equipamentos. 

A ideia por trás disso é que todo gasto que for relacionado à construção precisa ser medido e pesquisado, tudo para que você tenha a certeza de que conseguiu as melhores condições de mercado! 

Os custos com a seleção de mão de obra também fazem parte dessa etapa do planejamento! Por isso, é preciso também lembrar dos equipamentos de segurança individual desses profissional no canteiro de obras. 

Para tornar o seu canteiro ainda mais seguro contra riscos e emergências, você pode contratar uma assistência médica, com equipamentos como estetoscópio, raio x portátil, entre outros.

Um bom planejamento de obras ajuda não só na entrega de uma obra de qualidade, mas também na otimização dos custos da obra! E aí, gostou das nossas dicas? Então envie esse artigo para um amigo!