Quem já presenciou acidentes em uma obra sabe o tanto que os procedimentos de emergência fazem falta. É claro que você pode fazer vários projetos sem se preocupar com isso e eles darem certo no final. Mas esse planejamento, além de estar previsto por lei, é de extrema importância para lugares distantes ou perigosos.

Para garantir que seu projeto seja seguro para as pessoas que trabalham nele, é preciso tomar precauções, orientar a sua equipe e realizar todos os procedimentos de segurança antes de inciar a obra.

No post de hoje vamos falar sobre procedimentos de emergência e o que fazer caso aconteça algum acidente. Consultamos o arquiteto Renato Feroldi, que nos deu várias dicas sobre o assunto. Continue lendo e confira!

Quais são os principais procedimentos de segurança para obras?

Fazer um Plano de Ação de Emergência

Toda obra, com exceção de residências familiares, deve ter um Plano de Ação de Emergência (PAE), descrevendo os perigos e as maneiras de resolver a situação. Ele é importante como prevenção, antes do início da obra. 

Seguir medidas de segurança

Muitos acidentes em construção civil são típicos e poderiam ser evitados seguindo medidas de segurança. Cuidados tais como fiscalizar a empresa, alertar os funcionários e prepará-los com cursos de segurança no trabalho, são fundamentais.

Controlar a entrada de pessoas

Com o decorrer da obra, é importante controlar a entrada e saída de pessoas para manter o local seguro e impedir acidentes, seja por distração ou falta de equipamentos de segurança. Lugares prestes a serem quebrados ou demolidos devem ser bem marcados e devidamente evacuados para evitar acidentes.

Usar equipamentos de segurança

Qualquer visitante, assim como toda a equipe, deve vestir os equipamentos de segurança: capacetes, luvas, mangas, calçados e o que mais for necessário para atividades específicas como cinturões, cordas e respiradores.

Esses equipamentos devem ser distribuídos para a equipe inteira e utilizados sempre. Além disso, lembre-se de checar se eles estão dentro da data de validade e em boas condições de uso, principalmente se optar por alugá-los.

O que fazer imediatamente após ter uma emergência?

Se a obra já possuir um PAE, ele deve ser de conhecimento de todos. Basta seguir o que está estipulado nesse documento, mantendo a calma e a organização. Além disso, qualquer ocorrência deve ser comunicada ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SEST).

O primeiro passo, em geral, é ligar para um serviço de emergência como:

  • SAMU discando o número 192 em caso de doenças, ferimentos e intoxicações;
  • Corpo de Bombeiros, 193, se ocorrerem soterramentos ou alguém ficar preso em um lugar de difícil acesso.

Porém, antes mesmo de ligar para um serviço de emergência, tente se acalmar, impedir que se aglomere uma grande quantidade de pessoas ao redor da vítima e colha informações sobre a pessoa que se acidentou, como aconteceu e se houve outras vítimas.

Em casos mais específicos, é possível ajudar a vítima antes mesmo de chamar uma ambulância:

  • se a pessoa estiver em chamas, abafe o fogo para impedir que as chamas sejam alimentadas pelo oxigênio. Não jogue água nem abane. Caso não consiga cobrir a chama, peça para a pessoa rolar no chão;

  • se a pessoa se intoxicar com algum produto por inalação, leve-a para um lugar ventilado e informe ao médico o tipo de gás que foi inalado ou providencie uma amostra que possa ser examinada;

  • se a intoxicação foi por ingestão, não provoque o vômito, siga as instruções de emergência que estão no rótulo da substância;

  • se a intoxicação foi por contato com a pele, lave com água corrente.

Em todos os casos é importante levar a pessoa para um atendimento médico, mesmo que ela pareça fisicamente bem.  

Além disso é importante saber o que não fazer. É inútil entrar em pânico, ou ficar ainda mais nervoso do que a vítima. Se você acha que não vai se sentir bem em uma situação dessa, procure outras pessoas que possam ajudar a vítima e saia de perto. 

Quando ninguém sabe o que fazer, a chance de errar ou piorar a situação é grande. Um PAE simples e claro ajuda a preparar a equipe para a maioria dos acidentes de trabalho dando instruções precisas.  

Como elaborar um plano de emergência?

Cada plano de emergência pode ser feito de maneira diferente. A CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) tem normas que são seguidas na maioria dos casos, e podem servir de modelo para a elaboração do documento:

  • nome e endereço da obra;

  • descrição das instalações;

  • contato dos representantes da obra para caso de emergência;

  • as possíveis situações perigosas;

  • a área de abrangência do plano, de acordo com os danos que podem ser causados ao redor da obra;

  • atribuição de responsabilidades nomeando uma tarefa específica para cada pessoa em caso de emergência;

  • fluxograma de acionamento para saber com quem entrar em contato no caso de um acidente;

  • relação de todos os participantes, todos os integrantes da equipe de obras, todos os materiais para segurança como extintores de incêndio, alarmes, mangueiras, máscaras, ambulâncias, sistemas alternativos de comunicação e de energia;

  • meios de acionamento de serviços de emergência como SAMU, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, hospitais próximos etc.;

  • procedimentos estruturados de acordo com todas as informações fornecidas para combater os riscos detectados;

  • formas de divulgação desse mesmo documento para que seja de conhecimento de todas as pessoas envolvidas na obra;

  • cronograma de exercícios práticos e teóricos para capacitar toda a equipe a lidar com os possíveis acidentes.

Durante a elaboração do PAE, avalie os riscos de um ponto de vista sincero e minucioso. Um diagnóstico superficial ou otimista pode ser extremamente perigoso. A maioria dos acidentes poderia ter sido evitada com uma inspeção mais detalhada da situação, não desconsidere essa etapa do planejamento. 

Além disso, as informações devem ser claras e alinhadas com o dia a dia da obra. Não adianta fazer um plano irreal que não pode ser usado em caso de emergência.

Quais são os direitos e deveres da empresa em caso de emergência?

Vários dos deveres da empresa — ou do arquiteto que esteja contratando a equipe de obras — têm a ver com a segurança dos funcionários e os possíveis riscos envolvidos na realização da obra. Portanto, toda empresa deve:

  • realizar todos os procedimentos de segurança;

  • dar todos os treinamentos para os seus funcionários dentro do horário de trabalho e com remuneração;

  • permitir que pelo menos um representante dos contratados acompanhe as fiscalizações legais;

  • elaborar documentos que mostrem os riscos detectados naquele ambiente de trabalho e as formas de diminuir ou preveni-los;

  • em caso de acidentes, a empresa deve preencher a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) notificando as autoridades competentes, mesmo se o funcionário não for afastado.

Quais são os direitos e deveres dos funcionários em caso de emergência?

É importante que os funcionários estejam cientes dos riscos das atividades que realizam e cuidem da própria saúde usando os equipamentos fornecidos pela empresa.

Também é dever deles assistir às palestras, bem como utilizar, conservar e guardar os equipamentos de segurança. O não cumprimento dessa exigência pode causar advertências e até demissão por justa causa.

Gostou das nossas dicas? Então, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos como este direto no seu e-mail!