Você já deve ter notado que as fachadas reflexivas estão sendo cada vez mais usadas em projetos arquitetônicos. Nas cidades, vários edifícios, seja de uso comercial, seja de uso residencial, apresentam esse visual, que é obtido por meio da utilização de vidros reflexivos.

Neste post, vamos mostrar como essa tendência surgiu e também as principais vantagens e desvantagens de utilizar esse recurso em projetos de arquitetura.

Vamos lá?

Saiba o que são vidros reflexivos

Os vidros reflexivos, também conhecidos como vidros espelhados, são desenvolvidos com tecnologia que garante um controle eficiente da luminosidade e calor, que são transmitidos aos ambientes internos de edificações.

Devido a essas características, esse tipo de material é uma tendência arquitetônica que tem sido cada vez mais utilizada, proporcionando maior conforto ambiental e maior eficiência energética nas construções.

A transformação de um vidro comum em um reflexivo é realizada pela aplicação de uma camada metalizada em um de seus lados por meio de processos pirólicos ou de câmara a vácuo.

O vidro pode ser do tipo laminado, insulado, temperado ou serigrafado: 

  • o vidro laminado é formado por duas ou mais películas de polivinil butiral (PVB) e pode ser produzido com diferentes níveis de resistência;
  • o vidro insulado é recomendável quando se quer aproveitar ao máximo a luz natural, bloquear o calor da radiação solar e proporcionar maior bloqueio do som (conforto acústico);
  • o vidro temperado, por sua vez, é o vidro que passou por tratamento térmico ou químico para aumentar sua dureza e resistência mecânica. Portanto, esse tipo de vidro é mais resistente a choques térmicos;
  • o vidro serigrafado, por fim, é um tipo de vidro pintado com esmaltes cerâmicos, apresentando as características de um vidro temperado, mas com possibilidade de customização de cores e formatos.

Entenda como surgiu a tendência das fachadas reflexivas

O vidro e o espelho são materiais que começaram a ser muito explorados pelo movimento modernista na arquitetura. Nos Estados Unidos, o uso de fachadas reflexivas tem sido muito empregado ao longo das última décadas e serviu de referência para a construção de arranha-céus no mundo inteiro. 

Do ponto de vista da construção civil, o desenvolvimento de sistemas de vigas e pilares possibilitou o uso de revestimentos mais leves, como os vidros reflexivos. Confira, a seguir, as principais vantagens e a desvantagem de usar esse tipo de material em fachadas de edificações. 

Algumas vantagens de utilizar vidros reflexivos em fachadas

As fachadas de vidro reflexivo proporcionam um ar de elegância e imponência às edificações. A estética marcante não é a única vantagem que esse tipo de material pode proporcionar aos projetos arquitetônicos, já que os vidros reflexivos podem oferecer também praticidade e economia.

Acompanhe, a seguir, outros benefícios de usar fachadas revestidas com vidros reflexivos:

banner-ebook-diario-de-obras

Privacidade

A utilização de fachadas reflexivas permite uma maior qualidade de vida para os usuários do ambiente. Por possibilitar o controle da luminosidade sem a necessidade de cortinas, pode-se visualizar o ambiente externo e aproveitar a luminosidade natural.

Apesar de permitir que os usuários do ambiente vejam o que se passa do lado de fora, quem está no meio externo não consegue ver o que está acontecendo do lado de dentro, o que proporciona maior privacidade.

Segurança

Por não permitir a visibilidade do ambiente interno, o uso de vidros reflexivos é uma boa alternativa para revestir guaritas, quartéis policiais ou outros tipos de estabelecimentos que ficam em contato direto com a rua.

Isolamento térmico

Esse tipo de material bloqueia em até 80% a passagem da luz solar e também diminui bastante a passagem de raios ultravioleta. Essa característica evita, portanto, o calor excessivo no ambiente interno, facilitando o controle térmico.

Devido a isso, a utilização de ar-condicionado pode ser menor, o que traz grande economia de energia elétrica e um ótimo custo-benefício para o uso dos vidros reflexivos.

Manutenção

Diferentemente de outros materiais que são comumente utilizados no revestimento de fachadas, como pintura acrílica, cerâmica e pedras, por exemplo, os vidros não necessitam de substituição e reparos periódicos.

Para deixar os vidros reflexivos com seu aspecto original, basta fazer a limpeza adequada, já que o material é inerte.

Agora que você já sabe quais são as principais vantagens de fazer o revestimento de fachadas com vidro reflexivo, veja qual é o aspecto negativo de utilizar esse tipo de material em projetos arquitetônicos. 

A desvantagem das fachadas reflexivas

Apesar de o uso de fachadas reflexivas oferecer vários benefícios, é preciso também estar atento ao fato de que há aspectos negativos no emprego desse tipo de revestimento.

Do ponto de vista do meio ambiente, as fachadas reflexivas são uma ameaça à segurança das aves, que enxergam as cores de uma forma completamente diferente da maneira como é a visão do ser humano.

Isso ocorre porque as aves não conseguem distinguir o que é uma imagem real do que é uma imagem refletida. Assim, acabam colidindo com os vidros reflexivos e esses acidentes podem ser fatais para esses animais.

Para minimizar esse tipo de risco para as aves, uma solução possível é criar barreiras visuais para que elas possam detectar a presença de um obstáculo à sua frente. Para isso, pode-se fazer a aplicação de fitas, filmes, tintas, decalques ou de redes de proteção do lado de fora das fachadas.

É preciso salientar que é muito importante avaliar os impactos de qualquer avanço tecnológico para a natureza, a fim de garantir a sustentabilidade ambiental.

Dessa forma, os vidros espelhados ou reflexivos estão sendo cada vez mais usados no revestimento de fachadas de edificações por oferecerem benefícios, como facilidade de manutenção, maior controle térmico, redução do uso de energia elétrica, maior conforto para os usuários do ambiente, entre outros.

No entanto, deve-se ter a consciência de que o uso desse tipo de material em fachadas tem ocasionado vários acidentes com aves, o que é uma ameaça para a preservação de algumas espécies da avifauna. 

Portanto, é preciso tomar medidas para usufruir das vantagens do uso das fachadas reflexivas e, ao mesmo tempo, minimizar seus impactos negativos para o meio ambiente, por meio de construções que sejam sustentáveis.

Gostou das dicas sobre o uso de vidros reflexivos em fachadas? Então siga o Veja Obra nas redes sociais para saber mais sobre outros assuntos relacionados a projetos arquitetônicos! Estamos no Instagram, no Facebook e no Youtube!