O consumo consciente é um conceito essencial na sociedade atual. É preciso utilizar os recursos naturais de nosso planeta com sabedoria e atenção, a fim de proporcionar um crescimento ecologicamente correto.

Para que, como consequência disso, seja possível garantir às próximas gerações acesso a essas riquezas.

Atualmente, a construção civil é um dos setores que mais utilizam e geram desperdício de materiais. Portanto, para resolver tal problema, foram criados diversos selos de sustentabilidade, com objetivo de conter o consumo insustentável.

Esses selos são essenciais para fazer com que as empresas conciliem seu crescimento socioeconômico com suas responsabilidades ecológicas.

Se você é um arquiteto que está preocupado com esse assunto e quer melhorar a gestão de seu negócio, continue a leitura deste post e veja 6 tipos de selos de sustentabilidade!

1. Casa Azul

Muito empreendedores utilizam a Caixa Econômica Federal para financiar suas construções. Dessa forma, essa instituição financeira criou uma classificação socioambiental para seus projetos: o Selo Caixa Azul.

O Caixa Azul tem o objetivo de promover o uso racional de recursos naturais, sempre levando em consideração o aumento da qualidade de uma construção. Além disso, são avaliados parâmetros relacionados ao uso, ocupação e manutenção das edificações.

Esses critérios são divididos em seis categorias:

  • Qualidade urbana;

  • Gestão da água;

  • Eficiência energética;

  • Projeto e conforto;

  • Conservação de recursos minerais;

  • Práticas sociais.

selo Caixa azul ainda possui três níveis avaliativos: ouro, prata e bronze. Quanto mais critérios são atingidos, mais bem avaliada uma construção será.

É importante lembrar que essa certificação é facultativa para qualquer tipo de projeto, quando a Caixa Econômica Federal é solicitada para o seu financiamento.

Entretanto, é extremamente válido que um profissional a solicite, pois o documento mostra para o mercado que sua edificação está alinhada aos padrões do consumo consciente.

Além do mais, a Caixa utiliza as construções que possuem esse selo em suas palestras e eventos. Portanto, tal situação pode ser uma boa oportunidade de marketing para a sua empresa.

2. AQUA-HQE

A certificação AQUA-HQE é um processo baseado na metodologia francesa utilizada no Démarche HQE. Sua aplicação iniciou-se no Brasil em 2008 pela Fundação Vanzolini, filiada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Seu objetivo é acompanhar o gerenciamento de um projeto, do seu início ao seu fim, sempre considerando as questões ambientais e construtivas.

Um projeto para receber essa certificação deve ser analisado nas seguintes fases:

  • Programa;

  • Concepção;

  • Realização;

  • Uso;

Além disso, está sendo desenvolvido um modelo para avaliar o interior das edificações.

Nesse quesito, são considerados fatores como: concepção e organização dos layouts que favoreçam a alimentação e a higiene, além da acessibilidade para portadores de necessidades especiais.

3. Leadership in Energy and Environmental Design

A Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) é uma certificação internacional que visa a sustentabilidade em projetos e obras. Por se tratar de uma avaliação de âmbito mundial, a certificação LEED é considerada como uma das mais importantes hoje em dia.

Toda edificação, quando avaliada, é submetida a uma análise dos seguintes fatores:

  • Espaço sustentável;

  • Eficiência do uso da água;

  • Energia e atmosfera;

  • Materiais e recursos;

  • Inovação e processo;

  • Créditos de prioridade regional;

Assim como outros selos, a LEED também tem um ranking para classificar suas obras: Certified, Silver, Gold e Platinum.

4. Selo Procel Edifica

A Eletrobrás, em 2003, criou o Programa Nacional de Eficiência Energética em Edificações (Procel Edifica). Esse selo tem o objetivo de incentivar o consumo consciente dos recursos naturais nas edificações em nosso país.

À medida que mais obras recebem essa certificação, há uma redução do desperdício e dos impactos que a construção civil gera sobre o meio ambiente. Dessa forma, é necessário que os profissionais que atuam nessa área façam de tudo para obtê-la.

O processo considera as etapas de concepção de um projeto e após a obra ser construída. Com isso, é possível conferir todas as metodologias envolvidas em cada situação.

Adicionalmente, são concedidas etiquetas que vão de E (pouco eficiente) até A (muito eficiente).

O principal benefício dessa certificação é a economia que a redução do consumo desses recursos gera para uma empresa, portanto, não a deixe para depois, ok?

5. FSC Brasil

Forest Stewardship Council (FSC Brasil) foi criada para proporcionar o manejo florestal consciente ao redor do mundo. Ela é uma instituição independente, não governamental, sem fins lucrativos que tem o objetivo de incentivar a aquisição de insumos à base de madeiras oriundas do manejo responsável das florestas.

Infelizmente, em nosso país, enfrentamos um sério problema relacionado ao desmatamento e aos madeireiros, portanto, é crucial que arquitetos façam de tudo para obter esse selo em suas obras.

6. Qualiverde

A prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, em 2012, criou uma certificação para construções sustentáveis chamada: Qualieverde.

Esse selo tem o objetivo de incentivar empreendimentos que utilizam práticas que reduzem os impactos ao meio ambiente. Além disso, para fomentar ainda mais a adesão do mercado, são oferecidos diversos benefícios para o certificado.

Algumas dessas vantagens são:

  • Redução da alíquota de impostos como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto Sobre Serviços (ISS);

  • Flexibilização dos projetos arquitetônicos, criando novas possibilidades para áreas de ventilação e sombreamento;

  • Aumento de áreas permeáveis, desde que os critérios para o reuso da água sejam atingidos;

Grandes eventos, como os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, ajudaram a promover e popularizar tal selo, já que suas construções foram planejadas e construídas levando em consideração os critérios dessa certificação.

Todos os selos citados nesse post fazem com que um empreendimento reduza suas despesas, promova o consumo consciente dos recursos de nosso planeta e mostre ao mercado que sua gestão está preocupada com a questão ambiental.

A sustentabilidade é algo que todo profissional do ramo da construção civil deve procurar. Consequentemente, um arquiteto consegue sair na frente de seus concorrentes e ganhar cada vez mais notoriedade, respeito e clientes.

Esse profissional, por ter um papel fundamental na concepção de um projeto, precisa adequar sua metodologia de trabalho aos selos de sustentabilidade existentes, sempre respeitadas as normas técnicas.

Você quer aprender a importância da pesquisa e do orçamento de materiais no projeto da obra? Leia este post!