Avaliar o mercado, estabelecer metas e determinar as ações para alcançá-las são práticas indispensáveis no planejamento estratégico de um negócio, seja ele qual for. No entanto, para que essa análise seja eficaz, é necessário conhecer os pontos fortes e fracos do negócio, bem como o meio ambiente em que está inserido. Isso é papel do gestor, e no post de hoje falaremos sobre uma ferramenta de gestão extremamente útil que irá te ajudar nesse processo: a análise SWOT para arquitetos.

O QUE É A ANÁLISE SWOT?

A análise SWOT é uma ferramenta que tem como objetivo auxiliar o planejamento estratégico do negócio e ajudar no seu crescimento e desenvolvimento. Sua função é avaliar os ambientes interno e externo a um empreendimento, formulando táticas para otimizar o desempenho no mercado.

Mas o que significa isso? A sigla SWOT é proveniente da língua inglesa, e significa: Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Para você entender melhor essa análise é preciso entender que, em relação ao ambiente interno, a análise SWOT engloba as atividades dentro da própria organização e considera todos os processos a ela relacionados. Nesse sentido, é nesse momento que avaliamos as forças e fraquezas da instituição considerando os fatores atuais, como: recursos, experiências, conhecimentos, habilidades e dores.

Enquanto isso, o ambiente externo trata de questões fora da empresa e que fogem do seu controle. A análise do ambiente externo é que possibilita a definição das oportunidades e ameaças futuras para o negócio.

FORÇAS

Você já parou para pensar no que a sua empresa é realmente boa? Esse exercício te dará insights importantes sobre o serviço que você oferece, pois apresenta as aptidões mais fortes da sua empresa, e consequentemente, as vantagens que você tem sobre a concorrência.

Aqui você pode considerar características da sua equipe, ativos da empresa, competências específicas dos membros da equipe, portfólio de clientes, entre outros. A seguir separamos algumas perguntas que podem te ajudar nesse exercício:

  • Quais atividades são melhor realizada?
  • Quais são os melhores recursos?
  • Qual a sua maior vantagem competitiva?
  • Qual é o nível de engajamento dos clientes?

Lembre-se: aqui é importante destacar qual a vantagem que você tem sobre a sua concorrência.

FRAQUEZAS

Da mesma forma, para que seja possível obter melhores resultados, é necessário saber quais aptidões interferem ou mesmo prejudicam o desenvolvimento do negócio. São esses os seus pontos fracos. Alguns exemplos aqui podem ser uma equipe pouco qualificada ou uma tecnologia e processos ultrapassados. Para te ajudar nessa etapa, separamos algumas perguntas:

  • Tenho uma equipe capacitada?
  • Existem lacunas na execução dos processos internos?
  • Por que a concorrência é escolhida?
  • Por que não consigo atingir o número de clientes desejado?

Nesse momento é importante analisar as fraquezas de forma isolada, para tentar entender quais os fatores responsáveis por ela e então criar um plano de ação para eliminar o problema. Para isso, você pode contar com outra ferramenta de gestão bem útil, a metodologia FCA.

Esse pode ser uma exercicio complicado, especialmente quando falando de um negócio próprio, mas lembre-se: é apenas assumindo uma falha que é possível consertá-la.

OPORTUNIDADES

Atente-se ao fato de que aqui estamos falando do ambiente externo a empresa. São características que podem influenciar sua empresa positivamente, mas que fogem do seu controle. Alguns exemplos de oportunidade são mudanças na legislação, novas exigências ou no mercado trabalhista, o desenvolvimento de uma nova tecnologia, lançamento de um produto complementar, entre outros.

Para identificá-las, é preciso fazer pesquisas que permitam a previsão de acontecimentos que impactem positivamente nos seus negócios. Sempre que um fator externo cria um cenário favorável para a empresa, ele representa uma oportunidade.

AMEAÇAS

Em contrapartida, as ameaças são eventos que possuem uma influência negativa sobre o empreendimento, e que também dependem de fatores externos. Esse tópico deve ser tratado com bastante cuidado, pois possuem influência mais direta no planejamento estratégico e nos resultados da empresa. Elas podem ser marcadas por um aumento significativo no número de competidores no mercado, pela escassez de mão de obra qualificada ou por mudanças na legislação do setor, por exemplo.

Por meio da análise desses elementos em conjunto, é possível obter um diagnóstico confiável dos ambientes interno e externo à sua empresa, tornando o processo de qualquer decisão estratégica, tática ou operacional mais assertivo.  

Agora que você já sabe tudo sobre a análise SWOT, é hora de colocar a mão na massa! Para te ajudar a melhorar a gestão dos seus projetos e obras, você pode utilizar softwares de gestão com o VEJA OBRA, que permitem o planejamento e controle da execução, sem perder nenhum detalhe. Acesse www.vejaobra.com.br e ganhe 30 dias de teste gratuitos!