A preocupação com a natureza, o meio ambiente e os impactos que as ações dos humanos tem sobre o nosso planeta são pautas atuais em qualquer mercado, e na arquitetura não é diferente. Essa grande mudança cultural já está refletindo em tendências muito marcantes da arquitetura, como as construções sustentáveis.

A forma como nos relacionamos com a natureza impactou diretamente na forma como nos relacionamos com os animais, especialmente com os de estimação, que deixaram de ser “apenas animais” e se tornaram parte da família. Hoje, mais do que nunca, prezamos também pelo conforto desses bichinhos que fazem parte da nossa rotina e que amamos tanto!

No artigo de hoje você confere as melhores dicas para criar um espaço que seja confortável e estiloso para o seu companheiro!

ARQUITETURA PARA PETS

A arquitetura para pets é  uma vertente da arquitetura que visa projetar um espaço especial para o seu pet mas sem abrir mão do estilo arquitetônico.

Segundo dados do IBGE, o número de cães nos lares brasileiros chegou a 52,2 milhões, enquanto o número de gastos é de 22 milhões, o que indica um alto mercado em potencial. Justamente por isso, empresas e arquitetos brasileiros passaram a investir na criação de elementos de decoração desenvolvidos especialmente para os pets.

No caso de cães e gatos, a maior preocupação é com o conforto e bem-estar do animalzinho, especialmente em apartamentos, onde a limitação de espaço é um dos desafios. Tudo isso está diretamente relacionado com o design dos objetos, por isso uma das grandes tendências da arquitetura para pets é o uso de móveis adaptados, que além de funcionais para os humanos, são adaptados para o seu bichinho.

Mesa Parafuso por SNOOZE para o site BOOBAM

Esse tipo de objeto é uma ótima solução para garantir o conforto do seu animal, sem precisar atrapalhar o fluxo do ambiente.

Para aqueles que possuem gatos, é interessante focar no uso de móveis que possam ser arranhados (sem que seja danificada a estética do ambiente, e também sem colocar a saúde do animal em risco), bem como em arranhadores.

Como eles adoram subir em móveis e em lugares altos e se encaixar em pequenos espaços, aposte na criação de nichos mais altos por exemplo, no formato de escada, que podem ser incorporados à decoração do ambiente e facilitam a locomoção do seu felino.

Já para os caninos, que tem maior interação com a rua e espaços abertos, o ideal é contar com móveis que sejam fáceis de limpar e que possam ser transportados de um cômodo para o outro. Contar com tintas laváveis nas paredes e nos rodapés é outra dica muito útil, pois facilitam a limpeza.

Hoje o que não falta são opções de móveis que seguem uma linha mais minimalista e modular, e podem ser facilmente integrados a decoração de um imóvel sem que seja necessário perder a sofisticação e design.

Cama Tamanduá por SNOOZE para a BOOBAM

Para aqueles que possuem animais ainda bebês, a dica de ouro é fugir de móveis que possuem pés de madeira. Nessa fase, os dentes estão crescendo e é comum que eles busquem algo para roer. Aposte em móveis e objetos com detalhe em metal e alumínio, nos quais as avarias ficam menos aparentes.

O uso de tigelas com design diferenciado, bem como tapetes estilosos para apoiá-las pode ser uma opção interessante para aqueles que possuem um orçamento limitado.

Agora que você já sabe como criar um espaço incrível para o seu peludo, não esqueça de conferir as 5 tendências da arquitetura para 2019.