Para você conseguir fazer um financiamento para construção em terreno próprio, é necessário preencher alguns quesitos para a liberação dos recursos. Portanto, quanto mais dinheiro você tiver disponível para iniciar as obras, mais fácil será para conseguir o financiamento, pois o valor solicitado será menor.

Devido a isso, é interessante que você faça um planejamento da construção para daqui 2 anos. Nesse período será possível diversificar seus investimentos em renda fixa e variável para, ao final, utilizar parte do dinheiro na construção do imóvel — que corretamente aplicado obterá um ótimo rendimento.

Pensando nisso, separamos neste artigo os principais tipos de investimentos que proporcionam uma boa rentabilidade para facilitar a sua escolha. Além disso, explicamos quais são os requisitos necessários para a concessão do financiamento. Confira!

Quais são os principais investimentos do mercado?

Para ter um bom retorno dos seus investimentos é preciso estudar bem o mercado, analisar o seu perfil de investidor — ou seja, identificar quais riscos você está disposto a correr — e só então realizar a aplicação desejada.

Listamos os 5 principais investimentos do mercado financeiro que oferecem uma boa rentabilidade, a qual aumentará seus recursos para viabilizar a construção. Acompanhe!

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que possibilita ao investidor a compra de títulos de dívidas públicas. Em troca, ele receberá os juros referente ao valor da sua aplicação.

Com esses recursos, o Governo Federal pode financiar investimentos nas áreas da educação, saúde e infraestrutura, por exemplo.

O Tesouro Direto oferece vários tipos de títulos, os quais têm rentabilidades e prazos diferentes. Dessa forma é possível optar pela aplicação que se encaixa melhor nos seus objetivos financeiros.

Uma das suas principais características é a possibilidade de realizar aplicações de baixos valores, com a finalidade de verificar se esse tipo de investimento é ideal para você.

Além disso, os títulos públicos são as opções de investimento que têm o menor risco do mercado financeiro.

2. LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliários (LCI) têm por finalidade captar recursos para financiamentos imobiliários. As Letras de Crédito do Agronegócio, por sua vez, absorvem recursos para os financiamentos agrícolas.

Ao investir em LCI e LCA você tem a vantagem da garantia pelo FGC — em investimentos até R$ 250 mil —, além da isenção do IR (Imposto de Renda) e da taxa de administração.

Por outro lado, a desvantagem é que enquanto não vencer a data do resgate você não pode retirar o seu dinheiro, pois existe um prazo que ele precisa permanecer aplicado — que pode variar de 3 meses a 5 anos.

Devido a isso, se você escolher esse tipo de investimento é de suma importância ter um planejamento financeiro, pois você não poderá contar com esses valores no período que eles estiverem aplicados.

3. Bolsa de Valores

O mercado de ações é um tipo de investimento considerado arriscado. A título de exemplo, uma ação no início do dia pode ter um valor alto, mas no final esse valor pode ficar muito abaixo do esperado.

Por isso, se você pretende investir nessa modalidade, é essencial estudar muito — caso contrário sua rentabilidade será comprometida.

As ações são participações societárias em empresas. Seu principal objetivo é captar recursos para financiar as atividades dessas companhias.

A Bolsa de Valores é quem negocia a compra e a venda dessas ações. Quem intermedeia essa negociação são as corretoras que estão habilitadas na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Essencialmente existem dois tipos de ações:

  • PN (preferenciais), em que o titular não tem direito de voto, mas em relação à preferência do recebimento de dividendos, a prioridade é dele;

  • ON (ordinárias), em que o titular da ação tem direito ao voto no que se refere aos assuntos corporativos nas assembleias.

É importante frisar que as ações preferenciais (PN) são as mais fáceis de serem vendidas e compradas, por isso são consideradas as mais comuns.

4. CDB

O CDB tem por finalidade captar recursos para os bancos. Nesse caso, você emprestará o seu dinheiro para a instituição financeira e ela, por sua vez, poderá emprestar esses valores a outras pessoas ou empresas.

Assim como os bancos cobram juros por seus empréstimos, ao aplicar o seu dinheiro no CDB a instituição pagará os juros a você no final da aplicação. Essa remuneração também pode ser pré ou pós-fixada, basta você escolher qual é a melhor opção.

Um dos maiores riscos de um CDB é o banco falir e não ter dinheiro suficiente para pagar a sua remuneração ou devolver a quantia investida, mas os investimentos de até RS 250 mil são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

5. Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários são investimentos feitos em bens como edifícios comerciais, shopping centers, hospitais, galpões etc. É importante frisar que quando você investe em fundos imobiliários, você não está comprando um imóvel, e sim as cotas daquele fundo.

Vale ressaltar que a maioria desses fundos é organizada sob a forma de fundos fechados, ou seja, não é permitida a entrada e saída de cotistas após o período de captação de recursos pelo fundo, nem mesmos novos investimentos pelos antigos cotistas.

Esse tipo de fundo tem tempo determinado e somente ao final os ativos são vendidos, os cotistas recebem o valor total de suas cotas e o fundo é encerrado — conforme condições e prazos previamente estabelecidos, ou ainda por ocasião da sua liquidação antecipada.

Devido a isso, é preciso estar atento ao prazo de resgate do título e incluí-lo no planejamento financeiro.

Quais são os requisitos necessários para a concessão do financiamento?

Agora que você já garantiu uma parte do dinheiro para iniciar as obras, é preciso analisar quais são os requisitos solicitados para a concessão do crédito no financiamento para a construção em terreno próprio.

A análise da sua situação cadastral é uma das primeiras exigências que a instituição financeira vai conferir. Para conseguir o financiamento, é preciso que não haja restrições no seu nome. Antes de liberar o valor solicitado, o banco avaliará o quanto você conseguirá pagar. Para isso será feito um cálculo para determinar o valor da sua parcela.

Desde que o contrato assinado seja no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação, o FGTS pode ser utilizado em três hipóteses:

  • compra e construção;

  • amortização ou liquidação do saldo devedor;

  • pagamento de parte do valor das prestações.

Além disso, o terreno deve estar registrado no nome da pessoa que vai fazer o financiamento.

O financiamento para construção em terreno próprio é uma excelente opção para conquistar o seu sonho de uma maneira mais rápida e eficaz. Para que você não tenha que recorrer a uma linha de crédito de alto valor — a qual também aumentará os juros —, é importante fazer um bom planejamento para conseguir pelo menos parte do dinheiro.

Além de tudo, você poderá aproveitar essa experiência em investimentos para, futuramente, realizar novas aplicações e conseguir viver de renda.

O que achou das nossas dicas? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe um comentário!

 

Daniel Guedine é autor convidado no Veja Obra, educador financeiro, assessor de investimentos e fundador do blog Caminho para Riqueza.