Qualquer projeto deve ter suas fases de planejamento bem definidas e executadas para garantir eficiência e sucesso no produto final. No caso do projeto arquitetônico, é essencial que sejam coletadas todas as informações do local onde será construído ou o ambiente no qual se planeja uma reforma ou remodelação.

Esse processo é conhecido como levantamento arquitetônico e você poderá conferir neste post, como isso pode influenciar o rendimento e eficácia do seu projeto. 

O que é o levantamento arquitetônico?

Geralmente concebida antes dos estudos preliminares e do anteprojeto, a etapa do levantamento arquitetônico constitui o processo de medições e análises da edificação “as built” (como construído) ou do terreno onde será construída uma nova edificação.

Trata-se de uma visita in loco para coletar os dados que futuramente se tornarão base para a elaboração das plantas, desenhos e arquivamento das informações do local. 

O que é coletado nesta etapa?

Durante este levantamento, geralmente, coletam-se informações a cerca das seguintes características:

Topografia e características do terreno

O Levantamento Topográfico Planialtimétrico, documento gerado durante o levantamento arquitetônico, retrata o terreno de forma precisa, por meio de um modelo gráfico. Nesta representação, são visualizados fatores como: os limites do terreno, as elevações, os níveis de lagos e açudes, a localização das plantações, os taludes, os aterros e os cortes de terra.

Como consequência dessa tarefa, torna-se possível prever possíveis retiradas de terra, necessidades de aterros ou modificações na topografia do lugar, auxiliando na previsão de custos e mão de obra específica associada ao projeto em desenvolvimento. 

É possível também que o arquiteto utilize das informações coletadas durante o levantamento para conceber a ideia aproveitando as características físicas do terreno.

Por exemplo, um terreno acidentado pode sugerir que o profissional trabalhe com diferentes tipos de implantações:

  • construções em níveis (cascata);
  • construções elevadas do solo por pilotis;
  • construções encravadas em nivelamento criado por movimentações de terra, etc;

Outro exemplo da influência das características do terreno na concepção do projeto é o aproveitamento da vegetação local para fazer os projetos paisagísticos e/ou evitar corte de determinadas espécies de plantas, trazendo mais sustentabilidade para o conceito criado. 

Quanto mais dados relativos à topografia puderem ser coletados, maior é a garantia de que o projeto a ser executado será melhor assentado no terreno. Mesmo para projetos de edificações em lotes urbanos, o formato do terreno pode influenciar diretamente na concepção das ideias relativas à edificação.

Medições do “as built”

Se o terreno já abrigar alguma edificação, é importante identificar os detalhes dessa construção para que o arquiteto consiga entender as necessidades de remodelamento e o que será necessário modificar ou conservar conforme as solicitações do cliente.

Por exemplo, se no terreno já existir uma casa, o arquiteto poderá identificar se há paredes que podem ser aproveitadas ou devem ser demolidas, se há pisos que deverão ser mantidos ou destruídos e como essas partes podem ser alocadas na nova remodelação.  

Dessa forma, torna-se necessário nessa etapa, medir e registrar parâmetros, como: as distâncias e cumprimentos entre as paredes, as aberturas e alturas das portas e janelas, a posição e áreas dos cômodos, os níveis, pé direito, etc.

Para isso, é ideal que os profissionais que executarem a visita, carreguem consigo materiais como: prancha, lápis, borracha, trena, réguas, fita métrica e outros instrumentos que possam auxiliar no registro das informações. 

Mesmo que a edificação existente contenha os projetos construtivos arquivados, o arquiteto  ainda assim deverá despender um pouco de tempo para validar as medidas fornecidas do local.

Conhecer os detalhes métricos da construção, pode auxiliar a equipe a identificar necessidades de modificações estruturais e estéticas e garantir que o projeto seja otimizado de acordo com os requisitos e expectativas do cliente.

Detalhes construtivos e outros aspectos relevantes

Todo projeto já construído possui detalhes que os registros anteriores não conseguem representar claramente, mas que são essenciais nas definições de uma reforma ou remodelação.

Por exemplo, uma construção histórica que será reformada, pode possuir detalhes construtivos relativos à forma de uma estrutura ou mesmo à cor de uma parede que podem ser reaproveitadas ou devem ser obrigatoriamente preservadas e, por isso, precisam ser registradas para a concepção do novo projeto.

Outro caso em que essa etapa se torna essencial, é em construções que receberão um estilo arquitetônico que pode não harmonizar com o ambiente (até mesmo a região) em que já está construída. 

Para isso, a equipe de visita precisa registrar fotograficamente o local. A fotografia, mesmo não fornecendo medidas precisas, pode auxiliar o profissional que executará os projetos “as built” a entender melhor a disposição dos elementos e até mesmo compreender a iteração dos usuários com a estrutura da edificação.

Além disso, a equipe precisa vivenciar o ambiente para entender variáveis difíceis de serem representadas de outras formas (como vento, temperatura, clima, luz), podendo registrá-las por meio de um memorial descritivo do “as built”.

Esse registro poderá evitar que em um determinado caso, a disposição de uma árvore existente próxima a uma janela não prejudique a luminosidade do ambiente, por exemplo. Ou ainda, em outro caso, poderá favorecer que a percepção da umidade do ar no local sugira a escolha de tintas mais resistentes à ação da água durante a definição dos materiais a serem utilizados no projeto.

De que forma estas etapas podem ser facilitadas?

Assim como para qualquer pessoa no século XXI, a tecnologia se desenvolve com o propósito de facilitar os processos nas vidas dos profissionais da construção.

Neste caso em específico, diversas ferramentas estão disponíveis no mercado para agilizar as tarefas, garantir precisão e o devido controle e armazenamento das informações.

Entre os instrumentos que podem facilitar as etapas que listamos acima, estão: as trenas a laser, os drones para registros fotográficos em terrenos extensos e outras atividades, softwares para gestão e registro de informações de projeto, etc. 

Assegurar que as características preliminares do projeto foram bem coletadas e armazenadas, têm precisão e podem ser facilmente gerenciadas, será fundamental para que o projetista consiga associar as exigências e necessidades do cliente com seu processo criativo, buscando melhorar a relação entre os usuários e a edificação e a eficiência da mesma.

O levantamento arquitetônico funcionará, portanto, para garantir ainda mais qualidade do produto que você oferece ao seu cliente. 

Gostou das dicas? Siga nossas páginas no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro de outras novidades!