Adotar métricas de projetos de arquitetura é fundamentais para acompanhar a execução da obra e garantir que a construção se desenvolva como planejado. Tão importante quanto o controle feito pelo arquiteto é o monitoramento por parte do cliente. Afinal, o contratante do serviço espera ser informado sobre todas as etapas e, para isso, deve obter os dados de que necessita para fazer esse acompanhamento e tomar as melhores decisões quando for preciso.

Essa troca de informações com base em mensurações consistentes é importante para assegurar uma relação de transparência entre as partes contratadas, além de justificar aspectos importantes da execução da obra. Neste artigo, você vai aprender a elaborar relatórios com métricas de projeto de arquitetura. Confira!

Quais são as premissas básicas de um projeto de arquitetura?

Cada projeto tem suas particularidades, e elas são importantes para determinar que tipo de informação deve ser repassado aos clientes. Basicamente, os pontos importantes do projeto são:

  • necessidades do cliente;

  • expectativas quanto à obra;

  • orçamento previsto;

  • prazo de entrega;

  • métricas utilizadas para mensuração do desempenho.

É preciso, portanto, identificar qual é o tipo de construção, considerando o uso previsto para o imóvel e as características principais do projeto, incluindo orçamento e prazos. Esses são aspectos que, obrigatoriamente, devem ser monitorados e repassados ao cliente. 

Além disso, essa avaliação trará uma noção exata da expectativa sobre a obra. “O ideal é entregar a mais, superando as expectativas do cliente”, orienta Cadu, sócio da CADU — Gerenciamento e Implantação.

Quais métricas de projetos de arquitetura são importantes para o cliente?

Conhecendo as premissas básicas do serviço contratado, é possível identificar quais métricas de projeto de arquitetura são as mais adequadas para repassar aos clientes, ou seja, o que faz mais sentido mensurar e repassar para o contratante. Mas como avaliar o desempenho da obra?

O principal mecanismo de mensuração é a adoção de indicadores-chave de desempenho (KPIs, do termo em inglês Key Performance Indicators). Em resumo, os KPI’s são as métricas que serão utilizadas para fazer essa mensuração, e são elaborados quase que de forma personalizada, atendendo às necessidades de avaliação de cada obra. 

No entanto, alguns KPIs são comuns a qualquer projeto de arquitetura, porque permitem o acompanhamento da evolução da obra em seus pontos principais. Separamos cinco que atendem às necessidades de mensuração tanto para arquitetos quanto para seus clientes. Confira!

1. Produtividade

Verificar a produtividade da obra é importante para demonstrar se os processos estão sendo executados de acordo com o esperado. Em geral, esses KPIs estão relacionados às operações. Indicamos, abaixo, duas fórmulas para mensuração da produtividade pelo custo da mão de obra e pelo número de tarefas realizadas por hora.

Produtividade por custo da mão de obra

Produtividade = orçamento do projeto / número de colaboradores

O resultado vai determinar quanto (em R$) cada trabalhador produz.

Produtividade por hora

Produtividade = tarefas realizadas no dia / número de horas trabalhadas no dia

Apresenta a quantidade de atividades realizadas por hora.

2. Desperdício

Você ou seu cliente querem evitar ao máximo desperdícios. Essas perdas podem ser calculadas com base nos materiais:

Índice de desperdício = quantidade de materiais perdidos / total de materiais x 100

Indica a taxa de desperdício em porcentagem.

3. Custo

Apresenta o percentual de custo que ultrapassou o orçamento:

Desvio de custo = custo real – custo orçado / custo orçado x 100

4. Prazo

Indica possíveis atrasos no cronograma:

Desvio de prazo = término real – término planejado / prazo planejado para obra x 100

O resultado positivo indica que a obra apresentou um atraso de X%. Caso seja negativo, demonstra o adiantamento na obra.

5. Retorno sobre Investimento (ROI)

Em projeto para os quais o cliente pretenda obter ganhos, vale a pena verificar qual é o retorno que ele terá. Para isso, é preciso considerar o valor que ele pretende alcançar com a comercialização do imóvel e o investimento que foi feito na construção.

ROI = receita – custo / custo x 100

O resultado apresentará o percentual de ganho sobre os custos de investimento.

Como elaborar um relatório?

Para que seja possível obter o controle da execução, é necessário que sejam registradas as informações relevantes do processo em um Relatório do Diário de Obra (RDO). Cadu explica que o RDO “é um guia de obra não só para o cliente, mas para todos os profissionais envolvidos no local da obra”. Para atender às necessidades de informação de todos os envolvidos, o RDO deve conter:

  • lista de todas as atividades que serão realizadas na obra naquele dia;
  • condições de início e fim de cada tarefa a ser cumprida no dia;
  • quem são os profissionais responsáveis por executar cada atividade;
  • registros do que foi feito durante todo o dia;
  • programação do que ainda será feito.
  • como estão organizadas as atividades do dia seguinte;
  • ordem cronológica das tarefas;
  • métricas de mensuração de desempenho atualizadas diariamente.

A essas informações, podem ser acrescentadas outras que o cliente espere obter diariamente.

Como um software de gerenciamento de obra facilita a produção do relatório?

Para obter todos os dados que devem estar presentes no RDO, o controle rigoroso das informações relativas ao andamento da obra é imprescindível. Cadu detalha que um “software de gerenciamento de obra ajuda tanto nas métricas do projeto, quando no relatório”.

Além disso, é um mecanismo que favorece a comunicação transparente entre arquiteto e cliente. “Para que um projeto de arquitetura tenha sucesso, é essencial que haja transparência durante todo o processo, e a tecnologia pode ajudar nisso”, justifica.

O software de gestão Veja Obra é um exemplo de ferramenta que registra todos os dados relativos ao projeto, como cronograma, orçamento, etapas previstas e realizadas, atribuições de cada profissional, entre outras informações.

O sistema tem, ainda, o recurso diário de obra, no qual são registradas as tarefas diárias, e mecanismo de comunicação em tempo real. “A dinâmica do projeto é melhor e tudo ocorre de forma mais clara, ágil e direta”, avalia Cadu sobre o software Veja Obra.

Assim, concluímos que relatórios contendo as métricas de projetos de arquitetura melhoram controles e a satisfação do cliente.

O que achou deste texto? Quer saber mais sobre como o Veja Obra pode auxiliar o seu trabalho? Então entre em contato conosco! Estamos ansiosos por atendê-lo!