modelo-de-negocio modelo-de-negocio

Modelo de Negócio Para Arquitetura: O Guia Prático

8 minutos para ler

Um modelo de negócios é uma ferramenta de gestão que serve para facilitar o entendimento de um empreendimento. Por meio dele, analisamos aspectos relacionados à própria empresa e também aos serviços prestados pela empresa, de forma a identificar as ações que devem ser tomadas para que seja possível iniciar um negócio de sucesso.

A partir do momento em que se decide empreender no mercado de arquitetura e urbanismo, e abrir um escritório de arquitetura, é necessário desenvolver um modelo de negócio para escritório de arquitetura. 

No entanto, por conta da ausência de disciplinas voltadas à temática de gestão e administração na grade curricular de cursos de arquitetura e urbanismo, possuir essa visão de negócio é um dos grandes desafios de profissionais no mercado. 

No artigo de hoje você confere as melhores dicas e práticas  sobre como montar um modelo de negócio para o seu escritório de arquitetura. Boa leitura! 

A escolha por empreender na arquitetura 

Hoje em dia o número de novos profissionais no mercado de arquitetura aumenta cada vez mais, e com isso, aumenta também a competitividade. Sendo assim, por conta do desafio constante de construir uma carreira com remuneração justa, abrir um escritório de arquitetura logo após a formatura é o caminho mais comum escolhido por profissionais. 

O que acontece é que, normalmente, os recursos para investir em um negócio próprio a essa altura são escassos, ainda mais quando não se tem autoridade e nem conhecimento o suficiente para fazer a gestão do escritório de arquitetura de forma assertiva. 

No entanto, em um cenário cada vez mais competitivo, o sucesso do escritório está atrelado não só a quantidade de clientes e projetos entregues, mas também à qualidade do serviço prestado, e também à manutenção da produtividade ao longo do tempo.

Para tanto, é essencial investir tempo e recursos na etapa de planejamento e criação de processos internos da empresa, bem como definir objetivos e metas de onde se quer chegar. Para isso, ter um modelo de negócio bem definido é essencial!

Modelo de Negócios: O que é? 

Um modelo de negócios é a forma como uma empresa cria, entrega e captura valor no mercado. Sendo assim, criar o modelo de negócio para o seu escritório de arquitetura te ajuda em duas funções importantes: 

  1. Estipular metas de crescimento a serem cumpridas, o que te ajuda a criar um plano de ação para desenvolver o seu negócio de forma sustentável e bem sucedida;
  2. Evitar a desorganização e ineficiência dos processos internos, retrabalhos e baixa remuneração;

Nesse sentido, o modelo de negócio é uma ferramenta de gestão que serve para facilitar o entendimento do seu negócio. Mas para isso é necessário avaliar alguns aspectos relacionados à própria empresa e sua estrutura, e também alguns aspectos relacionados aos serviços prestados pela empresa. 

Para te ajudar nessa tarefa, utilizaremos Business Model Canvas, uma ferramenta que você precisa conhecer! 

Business Model Canvas

O Business Model Canvas, ou Canvas como é comumente conhecido, é um mapa visual desenvolvido pelo consultor suiço Alexander Osterwalder, e que permite desenvolver e esboçar modelos de negócio novos ou existentes de forma estratégica por meio de 9 blocos pré-definidos. São eles: 

modelo-de-negócio

A ideia é utilizar o Canvas para refletir sobre cada uma das funções da empresa, bem como descobrir o que precisa ser feito para que você possa conquistar mais clientes e entregar um serviço de qualidade. 

Repare que o quadro é dividido em 4 aspectos importantes a serem analisados em qualquer modelo de negócio, sendo eles: o que você irá oferecer e qual a grande proposta de valor envolvida, para quem você irá oferecer esse serviço, como você irá entregar o seu serviço e quanto você irá gastar e ganhar para executá-lo. 

A seguir você confere cada um dos blocos e tudo o que você precisa saber para preenchê-los! 

1. Segmento de Clientes 

O primeiro passo para ter um negócio de sucesso é entender quem é o cliente que você quer atender. Isso significa que, antes de começar a ofertar o seu serviço, é preciso definir uma fatia do mercado com a qual você irá se comunicar. Essa é parte fundamental do seu modelo de negócio! 

Lembre-se de que quem vende para todos, não vende para ninguém! Um negócio de sucesso é desenvolvido através dos olhos do cliente. É por isso que você precisa definir um nicho de mercado. 

Ter o conhecimento específico das pessoas com as quais você deseja se comunicar, entender os seus desejos, dificuldades e interesses é o que te ajuda a atingir pessoas verdadeiramente interessadas nas soluções que você oferece. 

2. Proposta de valor 

A sua proposta de valor é aquilo que só você pode oferecer para o mercado. Ou seja: qual é o grande benefício que o seu cliente em potencial terá em contratar você ao invés do concorrente? Isso precisa ficar muito claro para o seu cliente. 

Um exercício interessante é tentar resumir o grande benefício que você entrega para o seu cliente em uma única frase.

Por exemplo, se o seu grande diferencial é fazer o acompanhamento e controle de obra, de forma a entregar uma obra organizada e sem atrasos para o seu cliente, a sua proposta de valor pode ser “entrego a sua obra sem dores de cabeça”. 

Pode ser que o seu diferencial seja a agilidade na hora de desenvolver o projeto. Neste caso, a sua proposta de valor pode ser “o seu projeto pronto em apenas 7 dias”. 

3. Canais 

Aqui me refiro às formas pelas quais você e a sua empresa são capazes de comunicar e entregar valor para o seu cliente. Sendo assim, os canais englobam não só a comunicação com o seu cliente, mas também a forma através da qual ele será capaz de comprar o seu serviço e como ele será entregue. 

Por exemplo: como será feito o atendimento do seu cliente? Por meio de conferências online ou visitas presenciais? 

4. Relacionamento com o cliente 

O bloco de relacionamento com o cliente trata das estratégias utilizadas para garantir que o seu cliente opte por consumir o seu serviço ao invés da concorrência, mesmo quando o preço é mais baixo. 

Para tanto, o melhor caminho é garantir um alto nível de atendimento. Lembre-se que construir e reformar são decisões importantes na vida de qualquer pessoa, pois exigem um alto investimento. Neste sentido, o seu cliente deseja se sentir importante, valorizado, reconhecido. 

Certifique-se de oferecer um atendimento extremamente humanizado! 

5. Fontes de Receita

Chegamos então a um dos principais pontos do modelo de negócios: as suas fontes de receita! 

As fontes de receita são as formas que você será capaz de obter receita por meio da sua proposta de valor. Em outras palavras, qual a maneira através da qual o seu cliente pagará pelos benefícios recebidos?

Vale lembrar que há uma série de modelos de receita que podem ser explorados. Além dos serviços de projeto arquitetônico completo, você pode trabalhar também com consultorias, mentorias, e-books pagos, entre outros. 

6. Recursos-chave 

A ideia aqui é descrever quais são os ativos necessários para que você consiga entregar o seu serviço com qualidade. Ou seja: o que não pode faltar na sua estrutura operacional para que você seja capaz de executar o seu serviço? 

Alguns exemplos de ativos podem ser os ativos físicos (como computadores e softwares de desenho 3D), recursos humanos, entre outros. 

7. Atividades-Chave

Quais são as atividades essenciais que você precisa realizar para que seja possível entregar a sua proposta de valor? É disso que se trata este bloco do modelo de negócios. 

Idealmente este bloco deve ser relacionado aos recursos-chave da empresa. Neste sentido, se um dos recursos-chave da empresa são os softwares de desenho 3d, então provavelmente uma das atividades chave da empresa será a renderização de projetos. 

8. Parcerias-chave

De maneira geral, o modelo de negócios do Canvas considera os parceiros-chave como sendo os serviços terceirizados, como é o caso dos seus fornecedores, equipe de obra, marcenaria, e etc. Sendo assim, aqui me refiro àqueles recursos fundamentais para a sua operação, mas que são adquiridos fora da sua empresa. 

9. Estrutura de Custos

Por fim, mas certamente não menos importante, chegamos ao bloco da estrutura de custos. Aqui, o profissional deve listar quais são os custos relevantes necessários para que você seja capaz de entregar sua proposta de valor com qualidade. 

Neste bloco você deve considerar todos os seus custos fixos e variáveis, como luz, água, internet, assinatura de softwares, e etc. 

Se você chegou até aqui, então já percebeu que as variáveis a serem consideradas na hora de desenvolver o seu modelo de negócio são muitas. E para utilizar o Canvas como ferramenta, é preciso seguir esse passo a passo listado acima! 

Uma boa dica para conseguir extrair o máximo possível desse exercício, é imprimir o modelo de negócio do Canvas e utilizar post-its para inserir as suas respostas em cada um dos blocos. Isso ajuda a focar naquelas áreas do negócio que exigem maior atenção.

Este artigo foi útil para você? Compartilhe nas suas redes sociais e não esqueça de marcar o VEJA OBRA

Posts relacionados

Deixe um comentário