neuroarquitetura neuroarquitetura

Neuroarquitetura: Como os Ambientes Impactam na Qualidade de Vida

5 minutos para ler

Você já ouviu falar na Neuroarquitetura? Esse termo refere-se ao estudo da neurociência aplicada à arquitetura. De forma sintetizada, como o ambiente físico pode impactar o nosso cérebro. 

Quando pensamos em arquitetura e neurociência parecem campos opostos, mas estudos comprovam que a maneira como os espaços são construídos e organizados tem impacto importante no desenvolvimento cognitivo e na interação do ser humano com o meio ambiente. 

No artigo de hoje você confere tudo sobre a Neuroarquitetura, assunto que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Boa leitura! 

Neuroarquitetura: O Que é Isso? 

Quando aplicada ao dia-a-dia, a neuroarquitetura pode melhorar de forma significativa a qualidade de vida do indivíduo.

Nesse sentido, alguns fatores como a iluminação solar, a temperatura, a acústica, a ventilação, e claro, as cores utilizadas no ambiente, são elementos importantes na configuração do ambiente e na geração de conforto e saúde. 

Essa técnica tem sido cada vez mais utilizada para criar projetos comerciais com o objetivo de aumentar a produtividade dos funcionários, melhorar o foco e a concentração.

Também é possível a aplicação da neuroarquitetura em projetos residenciais, de forma a criar um refúgio confortável e relaxante para o cliente. 

Neuroarquitetura Em Projetos Comerciais

Quando pensamos em ambientes corporativos, a ideia principal é criar ambientes humanizados, capazes de influenciar de forma positiva os níveis de motivação e o comportamento do trabalhador. 

A ideia por trás de projetos mais humanizados é promover não só o bem-estar dos trabalhadores, mas também a socialização entre os funcionários da empresa. 

Quando pensamos em projetos comerciais, em especial os escritórios corporativos, existe uma tendência para que as cores neutras sejam priorizadas. Essa é uma tentativa de não carregar os ambientes com excesso de informações, mas o que pouca gente sabe é que com alguns elementos de cor em locais estratégicos é possível deixá-lo mais estimulante.

Algumas formas fáceis de incorporar cor no seu projeto comercial é por meio do uso de painéis, luminárias de mesa ou até mesmo uma poltrona de descanso colorida. Isso já será o suficiente para exercitar a criatividade dos seus funcionários, sem comprometer a identidade visual.

Outra forma de aplicar a neuroarquitetura em projetos comerciais de forma eficiente é por meio de projetos que valorizam a iluminação solar. 

Neuroarquitetura Em Projetos Residenciais

Para aqueles que desejam começar a pensar os projetos residenciais por meio da aplicação de técnicas da neuroarquitetura, o primeiro passo é realizar um briefing de projeto com o auxílio de um profissional da saúde, que pode ser um psicólogo ou até um neurocientista.

A partir das informações coletadas é possível criar um perfil do cliente que identifique as suas necessidade diárias. Assim, cabe ao profissional da arquitetura criar soluções espaciais capazes de melhorar a qualidade de vida do cliente por meio da arquitetura. 

Um exemplo básico pode ser a criação de um projeto acústico, capaz de eliminar ruídos externos que atrapalham a qualidade do sono do cliente, por exemplo. 

Criar estímulos para os cinco sentidos é outra dica de transformação prática que não exige quebra-quebra e que pode trazer mudanças expressivas na vida do cliente! Você pode utilizar aromas, textura e até música no ambiente a fim de alcançar os resultados esperados. 

O ideal é que as soluções sejam o mais personalizada possível, afinal, cada projeto visa atender as necessidades de um indivíduo em particular.

 Confira aqui algumas dicas para começar agora mesmo: 

1. Ar Livre 

Ambientes que contam com um projeto de iluminação bem feito e com boa ventilação tendem a estimular o relaxamento. Por isso, certifique-se de criar um espaço que valorize a iluminação solar e opte por janelas largas sempre que puder. 

2. Iluminação Artificial 

Ainda pensando nos benefícios da iluminação, uma boa dica é investir no uso de luz amarela nas áreas íntimas. Elas ajudam a estimular a produção de melatonina, o que contribui para uma melhor qualidade do sono. 

A luz branca deve ser exclusividade das áreas que exigem concentração e foco, como a cozinha e o escritório. 

3. Elementos da Natureza

O uso de elementos naturais, além de ser uma forte tendência para o ano de 2020, é também uma das formas mais práticas de estimular o relaxamento. 

Use e abuse de plantas, quadros com paisagens e revestimentos em madeira. 

4. Organização dos Ambientes

Parece óbvio, mas não é. A organização dos ambientes é um dos pilares da neuroarquitetura. Afinal, não há nada mais relaxante do que se livrar da bagunça. Estudos indicam que isso pode ser até uma forma de controlar a ansiedade. 

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir 7 materiais econômicos para reformar sem gastar muito! 

Posts relacionados

Deixe um comentário