A escolha do revestimento para pisos e paredes pode ser um determinante para o resultado final de um projeto. Isso por que, quando bem escolhidos e instalados de maneira adequada, o uso de revestimentos pode dar uma cara totalmente nova a um ambiente. No entanto, tudo isso depende é claro, de uma boa paginação!

No artigo de hoje você irá aprender os cuidados necessários e as melhores dicas para conseguir obter o resultado desejado!

PAGINAÇÃO: O QUE É ?

Quando falamos de paginação, planejamento é a palavra de ordem! Por isso, antes de dar início na instalação dos revestimentos, é importante planejar como será feita a aplicação das peças, ou seja, como serão encaixadas as peças no piso ou nas paredes, para que seja possível obter o resultado de desenho pretendido. Isso, em termos técnicos na arquitetura, é chamado de paginação.

Além de estabelecer a direção na qual as peças serão dispostas, o planejamento da paginação é uma atividade extremamente necessária para que seja possível definir o tamanho ideal do revestimento, bem como a quantidade necessária para preencher uma determinada área. Tudo isso é importante para que seja possível incluir no orçamento de obra o custo necessário não só com o material, mas também com a contratação de mão de obra especializada.

Uma boa paginação dos revestimentos não serve apenas para trazer resultados mais harmoniosos para um ambiente, mas também ajuda na hora de evitar o desperdício de peças na hora da instalação.

CONHEÇA OS TIPOS DE PAGINAÇÃO

A paginação é especialmente importante quando estamos falando de revestimentos estampados, ou em peças com desenho geométrico diferente e até mesmo revestimentos em 3D.

A dica aqui é organizar o painel buscando evitar os padrões indesejados, como repetições exageradas por exemplo. Pensando nisso, separamos aqui os principais tipos de paginação utilizados e algumas dicas infalíveis para que você obtenha o resultado desejado!

paginação

  1. Alinhada

Esse é o tipo mais tradicional de paginação, no qual todas as peças possuem o mesmo formato e dimensões, e estão dispostas de maneira totalmente alinhada nas superfícies. Esse tipo de aplicação confere uma sensação de regularidade ao espaço, sem muito movimento.

Além disso, por necessitar de menos cortes, é uma opção mais econômica, pois desperdiça menos material. Por isso, para realizar o cálculo da quantidade de peças na paginação alinhada, estima-se um percentual de perda de 10%.

  1. Vertical

Aqui o critério de organização das peças leva como base o eixo vertical. Nesse sentido, revestimentos retangulares por exemplo, são dispostos de maneira que a maior dimensão das peças é orientada no sentido vertical.

Esse tipo de paginação é muito usado como artimanha para alongar os espaços, já que a disposição das peças parece aumentar o pé direito do ambiente.

Para o cálculo da quantidade de peças na paginação vertical, estima-se um percentual de perda de 10%.

  1. Horizontal

Ao contrário da paginação vertical, a paginação horizontal dispões as peças de acordo com o seu eixo horizontal. Por isso, são mais utilizadas quando a ideia é aumentar a sensação de amplitude de um ambiente.

Para esse tipo de paginação, também estima-se um percentual de perda de 10% das peças utilizadas.

  1. Diagonal

Nesse tipo de paginação, as peças são assentadas a um ângulo de 45 graus. Isso quer dizer que, serão necessários mais recortes nas peças, o que pode resultar em um desperdício maior no canteiro de obras. Por isso, a dica aqui é considerar um percentual de perda de 20% a 25%.

Optamos pela paginação diagonal quando queremos trazer ao ambiente uma seção de movimento e dinamismo. Uma curiosidade interessante é que, quando dispostas dessa forma, as peças ajudam a reduzir o ruído de carrinhos ou malas de rodinha. Portanto, em estabelecimentos comerciais como hotéis e escritórios, podem ser uma boa opção.

  1. Espinha de peixe

A paginação em formato de espinha de peixe (ou de “zig zag” como também é conhecida)  ganhou fama na Europa há alguns séculos, mas agora aparece como preferência em projetos contemporâneos.

As suas peças também são dispostas em ângulos de 45 graus, o que significa que as perdas com recortes das peças podem chegar a 30%, resultando em um considerável aumento do custo de aplicação.

Normalmente, são utilizadas com pisos de madeira, e também como revestimentos cerâmicos, azulejos e porcelanatos, conferindo um resultado ao mesmo tempo clássico e contemporâneo.

  1. Escama de Peixe

Este tipo de paginação possui as mesmas características da paginação em formato de Espinha de Peixe, exceto pela diferença na direção da instalação da peça. Nesse caso, as peças são organizadas horizontal e verticalmente, formando ângulos de 90 graus.

A dica para a instalação das peças nesse tipo de paginação é começar sempre pelas laterais e seguir a diagonal. Exatamente por isso, a paginação de Escama de Peixe é ideal para peças retangulares.

Para calcular as quantidades necessárias, a dica é considerar também uma perda de 30% das peças.

  1. Transpasse aleatório e transpasse padrão

Esse tipo de paginação requer atenção especial. Isso porque, revestimentos alongados apresentam um maior grau de empenamento, o que pode gerar eventuais problemas no assentamento.

Quando alinhadas corretamente, o empenamento é praticamente imperceptível. Mas quando desalinhadas as imperfeições ficam mais evidentes, o que pode comprometer o resultado final.

É por isso que os fabricantes indicam transpassar as peças na hora da instalação. Ou seja: colocar duas peças lado a lado porém desencontrando os finais de cada uma. Essa é uma medida para aumentar a segurança e também para garantir melhores resultados.

A dimensão de transpasse varia de acordo com as dimensões das peças, podendo ir de 15% a 25% do tamanho total do revestimento.

Quando falamos de transpasse padrão, estamos falando de no máximo 15% do comprimento da peça. Suponha que o revestimento tenha dimensões de 60×120 cm, o transpasse máximo com relação a peça vizinha é de 18 cm.

Agora se estamos falando de transpasse aleatório, geralmente estamos tratando de peças com dimensões menores, de no máximo 15 a 20 cm de largura e 60 cm de comprimento.

Conclusão

Planejar a forma como o revestimento será disposto em um ambiente é fator importantíssimo para obter um resultado satisfatório do projeto, tanto em termos estéticos quanto econômicos. Uma paginação bem planejada é essencial para o melhor aproveitamento de espaços, além de serem uma forma de personalizar os ambientes.

Agora que você já sabe tudo sobre paginação, que tal aprender sobre como criar um orçamento de obras matador? Clique aqui e baixe gratuitamente.